Viajar como um local é um estilo de vida

Quando você faz uma troca de casa, contribui para a economia local e evita a superlotação e degradação das cidades turísticas

Protesto de moradores contra ônibus turísticos ao redor do Templo da Sagrada Família, em Barcelona (Foto: Leonardo Viso)

Fazer uma troca de casa é sem dúvida uma maneira de economizar dinheiro na hora de viajar. Porém, há outros motivos para você embarcar nesse estilo de viagem. Um deles é contribuir para um turismo mais sustentável, que respeita os moradores e a cultura local. Muitas cidades vêm enfrentando problemas com o turismo desenfreado. Espanha, Itália e Croácia são exemplos de países onde o turismo, além de uma importante fonte de renda, também é um grande problema. Quando você faz se associa à BeLocal, você está ajudando a construir um mundo melhor e uma sociedade menos consumista.

Na Europa, Barcelona foi palco de uma disputa entre o moradores e o turismo. A ideia de multidões lotando a cidade a cada verão fortaleceu um movimento chamado de “turismofobia” – rapidamente condenado pelo governo. Ruas e praças lotadas de ônibus turísticos, diminuição da oferta de apartamentos para aluguel regular e custo de vida mais alto são reflexos de um turismo que esquece a cidade e se volta apenas para o lucro.

Ser um local, mesmo que por um curto período, é ir na contramão disso tudo. É conhecer o espaço que está visitando e também ajudar a evitar a superlotação das cidades turísticas.

Explorar a cidade como um local é uma forma de evitar os problemas do turismo de massas

Ao optar em fazer uma troca de casa, você passa a fazer parte de um novo jeito de viajar e de fazer turismo. Conhecer museus, monumentos históricos e praias são parte desse movimento, mas que tal dar preferência ao comércio local em vez de ir a restaurantes, cadeias de comida rápida e grandes mercados?

Com essa iniciativa, você vai deixar boas marcas no lugar e não só aumentar os problemas! Um bom exemplo, são as dicas que o Instituto Akatu fez para você ser um viajante que deixa (e leva) boas lembranças nos locais que visita.

Por fim, como a troca de casa é um caminho de mão dupla, não podemos deixar de enfatizar que você também contribui para melhorar a sua própria cidade quando cede a sua casa para um visitante. Já pensou em quantos prédios antigos foram demolidos para virar um hotel ou uma farmácia? Ou ainda na quantidade de pessoas que visitaram a sua cidade e voltaram sem aprender nada da cultura ou história local?

Quando você se associa à BeLocal, você se torna um agente social que melhora a sua vizinhança e deixa um lugar melhor para viver… e visitar. Comece já a fazer parte desse movimento! Faça seu cadastro e divulgue essa ideia com os amigos e em suas redes sociais!

Siga a BeLocal no Facebook e no Instagram!